Magazine Button
Panduit cria data center escalável para Codisa

Panduit cria data center escalável para Codisa

Quando a Codisa, empresa de TI pioneira, decidiu criar um terceiro data center em seu parque tecnológico na Costa Rica, ela recorreu à Panduit para modernizar um edifício existente. Era necessário ter soluções tecnológicas robustas, abrangentes e escaláveis que permitissem a ligação de todos os setores. Héctor Rosales López, gerente de infraestrutura da Codisa, nos diz: “Projetamos que este edifício superará 20 anos de operação com a infraestrutura implantada”

A Codisa foi fundada em 1991 pelos visionários Ronald Jiménez, Johnny Xatruch e Carlos Blanco como uma start-up de desenvolvimento de Tecnologia da Informação. Desde o seu nascimento, tem sido uma referência tecnológica na Costa Rica, América Latina e América Central, pois ao longo de sua história se caracterizou por oferecer serviços e produtos inovadores. Foi uma das empresas pioneiras na Costa Rica na exportação de software e implementação de suas soluções em centenas de clientes em 14 países da região.

Foi a primeira empresa a ter um Sistema de Planejamento de Recursos (ERP) baseado em Oracle na América Latina, em 1993. Em 2000, a Codisa construiu o primeiro parque tecnológico na Costa Rica e a partir daquele momento tornou-se líder tecnológica na região, desde que apresentou o primeiro Business Continuity Center, o primeiro data center do país e, em 2011, lançou os serviços da primeira nuvem pública da Costa Rica. Além disso, tem como principal característica oferecer aos seus clientes soluções confiáveis, por meio de serviços de Continuidade de Negócios, gerenciamento de data center e hospedagem.

Desafios de negócios

Em 2017, a Codisa decidiu criar um terceiro data center em seu Parque Tecnológico da Costa Rica, devido ao aumento da demanda por serviços de web hosting e data centers no país, para o qual modificou o edifício DCII, classificado como Edifício Essencial A (segundo o Código Sísmico da Costa Rica), que se destinava a abrigar o call center mais crítico do país.

Um dos principais desafios do projeto, além da modernização e adaptação do edifício DCII, foi criar um data center eficiente, tanto na questão energética como no aproveitamento do espaço físico, o que permitiria à empresa ter o maior número possível de cabines e, desta forma, oferecer serviços a mais clientes.

Outro desafio era encontrar fornecedores que garantissem a disponibilidade imediata dos insumos e materiais tecnológicos do data center durante a construção e operação, já que havia prazos estabelecidos para o desenvolvimento.

Héctor Rosales López, gerente de infraestrutura da Codisa, afirmou que foi fundamental contar com o apoio das empresas envolvidas no projeto. “Exigimos o acesso à tecnologia em duas vertentes: a primeira, disponibilização imediata de insumos, com a garantia de que as soluções tecnológicas implementadas continuariam acessíveis, económica e tecnológicas nos anos seguintes. E, a segunda, ter acesso a treinamento e educação para nossa equipe”.

Héctor Rosales López, gerente de infraestrutura da Codisa

Além disso, era necessário contar com soluções tecnológicas robustas, abrangentes e escaláveis que permitissem a conexão de todo o edifício. Também era importante que as empresas participantes estivessem alinhadas com políticas sustentáveis nacionais e internacionais que permitissem à Codisa prestar um serviço eficiente e de acordo com a realidade global em matéria de tecnologia e cuidado com o meio ambiente. Além de ajudar a obter a certificação LEED GOLD e ajustar o edifício DCII para manter a certificação ISO 50001.

Objetivos estratégicos

O objetivo principal do projeto era criar um edifício e um data center tão robustos e confiáveis quanto os já existentes no Parque Tecnológico Codisa. Para o projeto, era imprescindível contar com tecnologia de última geração, sistemas de conectividade de alta velocidade, encontrar a melhor tecnologia em cabeamento de cobre e fibra ótica, além de tecnologia Power Over Ethernet (PoE) e sistemas de aterramento funcional para proteção de pessoas e equipamento.

“Queríamos ter a mesma infraestrutura robusta dos edifícios DCI e DCIII, o que nos permite transmitir confiança e tranquilidade aos nossos clientes, de que não haverá interrupções no funcionamento de seus negócios”, disse López.

“Além disso, queríamos que o edifício DCII tivesse tecnologias de ponta, com soluções que continuassem em vigor nos próximos anos, para que pudéssemos continuar a prestar um serviço tecnológico de qualidade, com uma melhor infraestrutura, mas mais economicamente lucrativo na época. para fazer o nosso negócio. Projetamos que este edifício ultrapasse os 20 anos de operação com a infraestrutura implantada até o momento”.

Outro objetivo era fazer crescer a nuvem e os equipamentos com foco em “soluções dedicadas”, que incluíam, além do serviço de colocation, a infraestrutura de processamento, armazenamento, redes e plataforma de virtualização, mantendo a qualidade e melhorando os tempos.

Entrega

Além disso, era imprescindível cumprir os prazos estabelecidos no plano de trabalho, que determinava os prazos de entrega aos diversos clientes da Codisa.

Na análise de gestão de risco, concluiu-se que a solução oferecida pela Panduit reduziu o risco na área de suprimentos, pois possui um grande estoque e um sistema de produção ágil que oferece disponibilidade de produtos de alta qualidade.

Solução Panduit

O projeto teve início em 2017 com o processo de conceituação. No final do ano, foi concluída a etapa de projeto e iniciada a etapa de construção.

“A Codisa e a Panduit geraram um relacionamento de compromisso, além do fornecimento de insumos tecnológicos, pois a Panduit enviou pessoal da área de engenharia para nos apoiar na proposta de otimização”, disse López.

“Uma vez que o fabricante foi selecionado, eles nos designaram um engenheiro e, junto com a UnitedTec, representante da Panduit na Costa Rica, nos apoiaram no processo de verificação do cumprimento dos requisitos nas ofertas das construtoras envolvidas, para que todos nós tinha os insumos necessários nas quantidades apropriadas.

“Além disso, a Panduit nos forneceu soluções tecnológicas que não se baseiam apenas em um componente, mas estão interessadas na relação que seus produtos têm com os outros elementos, independentemente de serem ou não soluções da Panduit.”

Para o desenvolvimento deste projeto, Panduit foi um aliado fundamental; devido à sua reação imediata em oferecer uma solução sob medida para as necessidades únicas da Codisa.

Diego Cardoza Vallejo, diretor geral da Codisa Datacenter disse que “na análise de gestão de risco, concluímos que a solução oferecida pela Panduit reduziu o risco na área de suprimentos, pois possui um grande estoque e um sistema de produção ágil que oferece disponibilidade de produtos de alta qualidade, na hora certa, a preços competitivos, além de contar com um grande número de integradores certificados em todo o país, o que foi muito importante para este projeto”.

A solução da Panduit consistia em um sistema de cabeamento de cobre Categoria 6A, capaz de executar aplicativos de 10 GB; Tecnologia Power over Ethernet (PoE); Conector Field Term Plug 6A, para aplicações de iluminação PoE; máquinas fotográficas; controle de acesso e PDUs, além de Patch Cords de pequeno diâmetro de bitola 28AWG, 45% mais finos do que qualquer cabo do mercado, ideais para otimizar espaços em data centers e salas de telecomunicações.

Também foi incluído o Sistema HD Flex para fibra de alta densidade OM4, que permite a otimização do espaço, pois permite aumentar o número de conectores de fibra em menos racks, o que resulta na colocação de mais clientes dentro de um rack. Cabos troncais PanMPO, que facilitam a troca de polaridade e gênero em campo para migração de 10 para 40 ou 100GB, são pré-montados, característica necessária para economizar tempo na implementação.

Por fim, foram incluídos os Sistemas de Aterramento e Identificação, acessórios de otimização de espaço, racks, organizadores e gabinetes.

Andrés Vicente, parceiro de desenvolvimento de negócios da Unitedtec, representante de vendas da Panduit para América Central, afirma que, para este projeto, foi fundamental encontrar um grupo de fabricantes com resposta rápida, que conhecessem o mercado, as tendências e entendessem as necessidades do cliente. “Além de contar com soluções tecnológicas de ponta para criar um data center escalável”.

Benefícios de negócios

Parte dos benefícios que foram obtidos com a implementação das soluções Panduit, para viabilizar o edifício DCII e a criação do terceiro Data Center Codisa, são:

  • Cumprimento dos prazos estabelecidos no cronograma de trabalho, decorrentes da disponibilidade de suprimentos e agilidade na resposta da Panduit;
  • Redução do tempo de implantação durante a construção em até 30% e redução do pessoal no local em até 50%, devido às soluções pré-montadas da Panduit;
  • Aumento de 10% na capacidade do cliente, decorrente da otimização de espaços e da criação de um novo data center;
  • Iluminação inteligente no edifício;
  • Escalabilidade, pois possui gabinetes modulares que permitem que o negócio cresça com facilidade;
  • Projeção no futuro. Com a solução PanMPO, é possível migrar para uma nova tecnologia sem alterar toda a infraestrutura, já que a polaridade do conector pode ser modificada para que seja capaz de suportar velocidades de 40 a 100GB;
  • Conselhos da Panduit durante a construção e durante a operação;
  • Disponibilidade de suprimentos imediatamente;
  • Soluções tecnológicas que, pelas suas características, permitiram obter a certificação LEED GOLD para edifícios sustentáveis, a certificação PCI para segurança de processamento de dados, ISO 50001 para gestão de energia, TIA-942 Rated 3, Tier III Certified Facility Certification e Tier III Operação Sustentável Ouro;
  • Garantia de 25 anos nas soluções instaladas.

“Uma das vantagens de ter selecionado um grupo de fabricantes de resposta rápida, com amplo conhecimento do mercado de data center e novas tendências, é que ele entende as necessidades de clientes em termos de disponibilidade de materiais, porque os centros de dados são entidades vivas onde os clientes entram e saem rapidamente e é essencial ter um aliado tecnológico que o apoie 365 dias por ano, 24 horas por dia, sete dias por semana”, finalizou Vicente.

Clique abaixo para compartilhar este artigo

Navegue por nossa
primeira edição

LATAM Portuguese

Ver Arquivo da Revista