Agility aterrissa no Chile e mira a América Latina

Agility aterrissa no Chile e mira a América Latina

A plataforma de segurança Eagle Cloud, baseada no modelo de subscrição, passa a fazer parte do portfólio da chilena CompuNet

A Agility, empresa com foco em infraestrutura do ciclo de vida de aplicações, segurança da informação e privacidade de dados, iniciou seu processo de internacionalização. A empresa firmou parceria com a CompuNet, consultorias de soluções de TI e segurança cibernética do Chile, que passa a incluir em seu portfólio a plataforma Eagle Cloud. Baseada no modelo de subscrição, a plataforma reúne três ofertas de forma integrada: Privacy Operations, Threat Intelligence e Multicloud Application Security.

“A nossa plataforma Eagle Cloud usa de forma intensa recursos de Inteligência Artificial (IA) para que possamos dar direcionamentos aos clientes em termos de segurança e tornar os processos de desenvolvimentos mais seguros e simples, dando visibilidade para tomada de decisão e correção de vulnerabilidades. A plataforma é multicloud, pois atendemos várias Nuvens”, explica Fábio Soto, CEO da Agility.

Segundo o executivo, o segundo passo é consolidar a atuação no Chile, buscando outros parceiros, para posteriormente expandir a outros países da América Latina, como Peru, Bolívia e Colômbia.

“A CompuNet é uma empresa com foco em segurança, são parceiros de vendors globais de segurança importantes. Eles têm atuação forte em governo, no setor financeiro, energia e Saúde e esperamos crescer nessas verticais. Também estamos buscando mais canais no Chile, a CompuNet tem sede em Santiago, mas entendemos que tem outras regiões que podemos expandir com outros parceiros”, comenta Soto. “Desde o início, quando decidimos construir uma plataforma de alta escala, sempre esteve em nossos planos a internacionalização”, diz.

Para o CEO da Agility, a pandemia fez com que as empresas mudassem muito rapidamente seus modelos de negócios e fossem para a Nuvem. Segurança e privacidade acabam sendo naturalmente uma das prioridades para as empresas no momento.

“A migração iminente das aplicações para a Nuvem acelera a necessidade das organizações de todos os setores da economia a priorizar a adoção de serviços e tecnologias que protejam as informações do negócio e dos clientes desde o desenvolvimento das aplicações, principalmente agora que as exigências aumentaram em função da LGPD”, afirma Soto.

Soto enfatiza que a transformação ocorre em um momento crítico para quem decide pelo modelo de negócios a ser adotado. “Uma empresa que nunca experimentou serviços de nuvem porque seu modelo de negócio não correspondia a isso terá de migrar ou não vai se adequar aos novos tempos. A plataforma Agility Eagle Cloud foi pensada para auxiliar os clientes nessa jornada”, completa.

Solução

Soto explica que o Eagle Cloud opera com três módulos integrados. Uma com foco em Privacy Operations, a segunda em Threat Intelligence, com IA conectado na gestão de vulnerabilidade baseada em contexto, e a terceira o Multicloud Application Security, que dá visibilidade de segurança de todo ciclo de vida da aplicação, desde a primeira linha de código até segurança de imagem de contêiner, passando por compliance de Nuvem.

Conectado ao módulo de Threat Intelligence, o cliente passa a ter visibilidade no que está acontecendo no mundo e saber se aqueles ataques que estão ocorrendo podem atingi-lo.

Cada um dos módulos é um produto, o cliente pode optar por ter um ou todos, de acordo com suas necessidades, da mesma forma o Canal, que pode se especializar em um ou mais módulos. “Temos parceiros que se especializaram em Threat Intelligence e não vendem a parte de privacidade, outro que só vende privacidade e há quem se especializou nos três módulos”, explica Soto.

“Nosso grande diferencial é a agilidade, entregamos segurança de forma muito rápida. Para o desenvolvimento de uma aplicação, no mesmo dia se consegue ter visibilidade da segurança, transformando uma esteira DevOps para DevSecOps de forma muito rápida. Já o Threat Intelligence tem um grande diferencial, que é trazer contexto para as informações, gerando insights para o cliente”, enfatiza.

Hoje, o perfil de clientes é basicamente grandes corporações, mas a Agility quer expandir suas soluções para médias empresas. Ela busca essa pulverização e escala, mas espera fazer isso com os parceiros atuais, em torno de 20 integradores.

“Prefiro ter um número de Canais não tão grande, mas com muita qualidade, com boa equipe e trabalho consultivo com os clientes. Estamos mais focados em buscar novos canais no Chile do que no Brasil”, diz Soto. “Estamos no marketplace da Synnex Westcon Comstor, é uma parceria estratégica muito importante para nós, mas temos parceiros que vieram independentemente da Synnex, que nos procuraram para ser nosso Canal e oferecer nossos produtos em seus serviços gerenciados”, afirma o executivo.

Clique abaixo para compartilhar este artigo

Navegue por nossa
primeira edição

Magazine Cover

Ver Arquivo da Revista